29 de junho de 2013

BALANÇO FINAL Foi bom, mas é preciso melhorar

Copa das Confederações em Fortaleza tem pontos positivos, mas questões a serem melhoradas para 2014
No instante em que Jesús Navas pôs fim à decisão de pênaltis, que garantiu a classificação da Espanha para a final da Copa das Confederações, na noite da última quinta-feira, 27, na Arena Castelão, Fortaleza se despediu do torneio e começou o balanço do que foi positivo e negativo durante os jogos na Capital.

Estrutura da Arena Castelão recebeu elogios de jornalistas e torcedores do mundo todo. As principais críticas foram em relação ao calor e alguns serviços.
No geral, a cidade sai fortalecida, mas ainda há muito o que melhorar, até no famoso "padrão Fifa". O Diário do Nordeste foi além dos 90 minutos de bola rolando e acompanhou os serviços oferecidos para os espectadores durante os duelos.

Nos três dias de disputa, um dos principais pontos positivos para quem foi ao estádio foi veio de fora dele. O plano especial de transporte público, com bolsões de estacionamento e ônibus gratuitos para os torcedores, funcionou de maneira exemplar.

O projeto conseguiu passar sem maiores problemas mesmo com as manifestações no entorno da praça esportiva, fazendo com que todos os espectadores fossem transportados de forma eficiente e segura.

A Arena Castelão também foi algo que encantou o público, como ressaltou a fonoaudióloga e cantora carioca que reside em Natal (RN) e acompanhou Brasil x México no estádio.

"Os lugares eram ótimos, a estrutura do estádio é legal, pois você consegue ver bem de qualquer lugar. Por fora, também está muito bonito", avaliou.

Não deu certo

Contrastando com os pontos que deram certo, estão alguns serviços oferecidos dentro do estádio. As longas e desorganizadas filas, a revista mal feita na entrada e o atendimento nas lanchonetes foram alvo de críticas.

Mas o que acabou sendo exposto na imprensa nacional e internacional foram as obras de mobilidade urbana inacabadas para a Copa do Mundo. A não-conclusão foi destaque nos meios de comunicação do México e no portal da TV inglesa BBC.

Para o jornalista mexicano Juan Martín Montes, do site Mediotiempo.com, "não se vê muito bem" essas obras de última hora, pois "dão uma sensação de correria de última hora, algo que se critica muito em relação ao Brasil", no entanto, ele espera que tudo esteja pronto em 2014.

As operadoras Oi e Tim também foram alvo dos usuários, que não conseguiram efetuar ligações e acessar a internet.

Juizado registra furtos de novo
Mais uma vez, o Juizado do Torcedor registrou ocorrências de furtos na Arena Castelão, durante a Copa das Confederações. Desta vez, foram três, na partida entre Espanha e Itália, na última quinta-feira, 27.

Nos dois primeiros jogos do evento em nossa Capital, haviam sido registrados cinco furtos _ três no jogo Brasil x México e dois no jogo Nigéria x Espanha.

O plantão teve à frente os juízes José Maria dos Santos Sales e Maria José Bentes Pinto.

O Juizado também registrou outros problemas. Uma família com ingressos da área VIP foi impedida de entrar com filho de quatro anos. Os organizadores alegaram não ser permitida a entrada devido à venda de bebidas alcoólicas no local. Mas agentes de proteção da infância e juventude conseguiram a entrada da mãe e do garoto de quatro anos.

Houve resistência da Fifa quanto aos agentes que acompanhariam 22 menores que entrariam em campo com os jogadores. Porém, os agentes tiveram acesso permitido, já que, no percurso, havia presença de adultos desconhecidos das crianças.

Blatter diz que Brasil "passou no teste"
O presidente da Fifa, Joseph Blatter, declarou ontem que o Brasil "passou no teste" na Copa das Confederações. Vaiado na abertura do torneio ao lado da presidente Dilma Rousseff, o cartola suíço voltou ao país na quarta-feira e disse que a edição brasileira do evento-teste para o Mundial de 2014 foi exitosa.

O presidente da Fifa, que foi vaiado na abertura da competição ao lado da presidente Dilma, afirmou que entende os protestos pelo País .
"O Brasil passou no teste. Isso, aliás, foi muito mais que um teste. Foi a Copa dos Campeões ", afirmou Blatter, que deixou o Brasil na semana passada após o acirramento dos protestos pelo país.

O alto gasto governamental na realização da Copa do Mundo era um dos pontos da pauta dos manifestantes. No Maracanã, o suíço disse que entende os protestos pelo país.

´Fortaleza foi a melhor cidade-sede´, diz secretário

A Copa das Confederações em Fortaleza expôs pontos positivos e negativos. Ontem, um dia após a Capital se despedir do torneio internacional, a reportagem buscou ouvir o balanço das partes envolvidas na competição, além das justificativas para os serviços que não funcionaram bem.

O plano de transporte foi destacado pelo secretário Domingos Neto, que acredita que este será um legado para grandes eventos.

O secretário extraordinário da Copa em Fortaleza, Domingos Neto, crê que a cidade fez um bom papel e que sai como a melhor sede da competição.

"Fortaleza se saiu muito bem. Acredito que fomos a melhor cidade-sede da Copa das Confederações. Nosso transporte público funcionou mesmo com as manifestações, algumas obras que muitos apontavam como impossíveis de serem entregues a tempo, foram inauguradas. Sempre há criticas, mas fico com os elogios que recebemos dos ministérios de Cidades e do Esporte", avaliou o secretário.

O titular da pasta ainda ressaltou que o criticado calor pode ser usado para o lado positivo.

"Nesta época do ano, temos uma temperatura média de 27ºC, o que é muito bom para o turismo. Sei que algumas seleções sofreram em campo, esse fator pode ser bom, pois alguns times podem procurar fazer sua preparação em Fortaleza, para melhor se adaptar ao clima", finalizou Domingos Neto.

Sem sinal

Os problemas na telefonia móvel e celular foram maximizados durante a Copa das Confederações. Na Arena Castelão, a falta de sinal persistiu e as operadoras Oi e Tim foram alvo de críticas.

A Tim informou que, "apesar de todos esses esforços, acredita que ainda há muito por fazer, por isso a companhia reafirma que está atenta às demandas dos seus clientes e continua monitorando o desempenho da rede com o objetivo de corrigir qualquer falha identificada, garantindo a qualidade do serviço".

Procurada, a Oi afirmou que se posicionaria por meio do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil). Porém a entidade irá fazer balanço das operações apenas na próxima semana.

O Comitê Organizador da Local (COL) e o secretário especial da Copa, Ferruccio Feitosa, também foram procurados para se posicionar sobre os pontos positivos e negativos, mas também só vão se pronunciar após o fim da Copa das Confederações.

Nenhum comentário: